29 de jul de 2011

Jornalista da BBC morre no Afeganistão




Um jornalista da BBC, Ahmad Omid Khpolwak, foi morto a tiros nesta quinta-feira durante um ataque de militantes na Província de Uruzgan, sul do Afeganistão.
O jornalista tinha 25 anos e, nos últimos três anos, trabalhou para o serviço pachto da BBC (um dos idiomas falados no Afeganistão). Ele também atuava na agência de notícias Pajhwoke e apresentava um programa em uma rádio local.
Segundo informações, Khpolwak estava trabalhando no escritório da TV e rádio locais da cidade de Tarin Kowt quando o local foi invadido por atiradores.
Além disso, foram registrados pelo menos dois ataques a bomba na cidade. Uma das bombas explodiu em frente ao gabinete do governador da Província e outra explodiu no escritório de uma empresa de segurança. No total, ao menos 22 pessoas morreram.
Depois das explosões ocorreu o tiroteio entre os militantes e as forças de segurança.
O diretor da BBC Global News, Peter Horrocks, disse que "a BBC e o mundo todo são gratos a jornalistas como Ahmad Khpolwak, que arriscam suas vidas para trabalhar em lugares perigosos".
O Talebã assumiu a responsabilidade pelos ataques desta quinta-feira, mas não há confirmação independente.
Metralhadoras
A maior parte dos confrontos ocorreu perto dos escritórios do governador e da empresa de segurança, que ficam perto do mercado principal da cidade e do prédio onde fica a sede da TV e rádio locais, onde estava o jornalista da BBC.
Moradores da cidade afirmam que os dois lados usaram metralhadoras, lançadores de foguetes e rifles durante os confrontos. Além dos mais de 20 mortos, os serviços de saúde relatam que outras 40 pessoas ficaram feridas.
Militantes afegãos aumentaram o número de ataques no país enquanto os soldados da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) iniciam a entrega da responsabilidade pela segurança às forças locais em algumas partes do Afeganistão.
Na quarta-feira, o prefeito da cidade de Kandahar foi morto em outro ataque suicida.
Há duas semanas, Ahmad Wali Karzai, irmão do presidente do país, Hamid Karzai, foi morto na mesma cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário